Análise à Xbox One

Publicado a: 30/Oct/2014 ; Por: Tiago Araújo

A Xbox One é a consola com maior margem de progressão do mercado, perceba porquê nesta análise à consola da Microsoft.

(Em desenvolvimento, faltam imagens) A Microsoft lançou a Xbox One em Portugal apenas em 2014 (Setembro), é quase um ano depois do lançamento mundial. Este atraso é algo controverso, mas percebe-se quando vemos que a Microsoft fez o mesmo com o Japão por exemplo. Em ambos os países a consola da Microsoft tem uma percentagem reduzida de mercado. Será a Xbox One capaz de mudar este panorama?

Olhando para o atraso de 1 ano, a resposta seria que nem a Microsoft acredita nessa mudança, mas esta geração de consolas que chegou ao mundo em 2013, tem muitos anos pela frente, ainda muito "sangue" vai ser derramado e o panorama pode mudar.

Ao nível global o cenário apesar de não ser vantajoso para a Microsoft, já é mais animador! A Playstation 4 continua a vender mais do que a Xbox One, mas a Xbox 360 vendeu mais do que a Playstation 3 na ultima geração de consolas. O problema da One é que começou com o pé esquerdo, aliás, acho que a Xbox One começou sem pés! Não pela qualidade da consola, mas pela forma arrogante que foi apresentada, e essa arrogância, essa tentativa de força ao impor novas regras no mercado de jogos foi muito noticiada e muito bem aproveitada pela rival Playstation 4.

Xbox-One-Logo

Os mitos que se foram criando depois da apresentação!

Ao longo do nosso teste fomos falando com diversos jogadores, a grande esmagadora maioria possuidores de uma Playstation, e a grande maioria sem nunca terem jogado numa Xbox. É este o cenário em Portugal. Nestas conversas levantamos 4 mitos muito persistentes que são totalmente falsos, pelo menos neste momento!

Mito 1: Preciso de estar online para jogar.
Inicialmente foi colocada a hipótese de um sistema de autenticação da Xbox One. A critica a este sistema foi elevada e a Microsoft mudou de ideias, não existe tal tipo de autenticação, podem jogar offline.

Mito 2: Não posso jogar jogos emprestados?
Novamente, era uma ideia da Microsoft, mas tal como no primeiro mito, a empresa americana ouviu os jogadores e alterou a sua politica, pode jogar títulos emprestados e jogos usados na Xbox one.

Mito 3: Não tem jogos, ou não é para jogar.
Neste momento a consola que tem mais títulos exclusivos é a Xbox One, com jogos exclusivos como:

  • Forza Horizon 2;
  • Forza Motosport 5;
  • Sunset Overdrive;
  • Ryse: Son of Rome;
  • Killer Instinct 1 e 2;
  • Halo: Master Chief Collection (11 Novembro);
  • Fighter Within;
  • Project Spark;
  • Dead Rising 3;
  • Zoo Tycoon;
  • Xbox Fitness;
  • Shape up;
  • Powerstar Golf;

Mito 4: Limites de região (DRM).
Dos 4 mitos este é o mais estranho. Uma das novidades anunciadas durante a apresentação da Xbox One foi o livre DRM. Ou seja, se comprar um jogo nos EUA ele irá funcionar na sua consola aqui em Portugal. Apesar disso, lemos em diversos fóruns que alguns títulos têm sido bloqueados. Para testar isto compramos um jogo no Ebay, a um vendedor dos EUA, o jogo funcionou, sem qualquer problema, mas até o vendedor nos avisou em relação a este facto, perguntando mesmo se queríamos prosseguir com a compra.

Xbox-One-portas

O centro da sala, para além dos jogos!

A Xbox One pretende ser um centro de entretenimento para além do mundo dos jogos. Esta visão afastou alguns jogadores, mas na nossa opinião é a visão com maior margem de progressão. O Kinect e a Xbox One são uma dupla que não deveria ser separada, mas foi. A Xbox One sem o Kinect é uma consola banal, com jogos e aplicações que permitem uma exploração simples, ainda assim uma experiência mais variada do que a rival Playstation 4. E este é o melhor elogio que posso fazer à Xbox One.

Com o Kinect pode controlar a consola, os jogos, as aplicações, os vídeos e a TV, tudo com a sua voz. A exploração da TV podia ser melhor, mas para isso seria necessário uma proximidade maior entre a Microsoft e empresas como NOS, Meo e Vodafone. Sem o Kinect a controlo destas funcionalidades piora.

Por falar em NOS, e por consequência na Lusomundo, aplicações de cinema em Portugal não existem. O consumo de conteúdo está bastante limitado nesta área. A aplicação de vídeos não funciona no que diz respeito à compra e aluguer de filmes. Continua a funcionar como reprodutor de vídeos alojados num disco (Suporta Blu-ray), pen, ou até mesmo via wireless.

E já que falamos em Wireless, a Xbox One possui algumas funcionalidades idênticas ao Chromecast do Google. Conseguimos controlar o Youtube pelo smartphone, conseguimos reproduzir vídeos, imagens e documentos através de aplicações como o AllCast. Nesta área ficamos com a sensação de que o potencial poderia ser muito maior, principalmente tendo em conta o Internet Explorer presente na Xbox e nas maquinas Windows. O update de Outubro já trouxe algumas novidades na reprodução de video na mesma rede, mas ainda há espaço para evoluir.

Todas estas funcionalidades ficam ainda mais apelativas quando falamos na divisão do ecrã. Consumir duas informações em simultâneo pode parecer estranho para uma consola, mas existem situações em que dá muito jeito. Assistir a uma transmissão desportiva, como futebol e acompanhar os restantes resultados das equipas concorrentes via Internet Explorer, ou outra aplicação especifica, ou jogar enquanto espera que o programa de TV, ou, transmissão do Youtube comece, são apenas alguns exemplos. E a consola conseguiu suportar jogos e consumo de conteúdo como musica, aplicações, ou TV de forma bastante fluída.

Para um centro de entretenimento, que pretende controlar tudo, ficou por colocar um leitor de cartões SD.

Podíamos falar mais sobre o Kinect, mas isto resultaria numa nova análise praticamente, pois além de poder ser comprado separadamente, o que não recomendamos, é um produto com muita qualidade, principalmente para quem quer jogar de pé. O Kinect tem a capacidade de detectar a sua conta Xbox Live, apenas olhando para si, ou seja, basta aparecer em frente ao Kinect que a Xbox One irá detectar a sua presença e irá identifica-lo, a si e a qualquer outro jogador no alcance visual do Kinect.

Quando falamos em jogar em pé, falamos em jogos desportivos, onde para além de se manter em forma, também se diverte.

Para os jogadores mais dedicados, existe o Twitch, com a capacidade de gravar o seu jogo e ainda a gravação da pessoa a jogar, graças ao Kinect. Por falar em gravações de jogo, as funções de DVR podiam e deveriam ser melhores, estando limitadas a gravações curtas, entre 5 a menos de 5 minutos.

Xbox-One-vs-xbox-360

Capacidade de processamento

Como explicamos no vídeo, a Xbox One tem sido colocada abaixo da Playstation 4, no que diz respeito à capacidade de processamento. A placa gráfica da Xbox One está mais limitada do que a da rival da Sony, no tipo de memória, principalmente na velocidade GDDR3 vs GDDR5. O número de núcleos de processamento do GPU são também menores, 768 vs 1152.

A Microsoft afirma que a memória dedicada ESRAM da Xbox One faz a diferença. É um tipo de memória unicamente acessível pelo GPU, mas que não tem dado muitos frutos, isto porque quando os jogos são partilhados entre ambas as consolas, a falta de capacidade de processamento tem sido sempre colocada no lado da Xbox One.

Quer a Xbox One, quer a Playstation 4 têm tido dificuldade a cumprir a promessa dos 1080p a 60fps, é uma geração que está a falhar.

Podem existir algumas excepções, mas a grande maioria dos jogos partilhados por ambas as consolas, irá seguir uma regra, para ambas. A capacidade será limitada consoante a consola menos capaz, ou seja, se Xbox One não conseguir rodar determinado jogo a 1080p e 60fps, o mais provável é que o jogo na Playstation 4 também não possua esta resolução e essa taxa de atualização de quadros/frames. E atenção, já existem jogos a 1080p na Xbox One, tais como Forza Motosport 5 e Sports Rival, ambos exclusivos, provando o que a Microsoft afirma sobre a ESRAM.

O que é importante retirar desta batalha, é que em ambas as consolas existe a dificuldade em rodar jogos a 60fps e com resolução de 1080p. Algo que tinha sido bandeira nesta nova geração de consolas, e algo que o PC faz sem problemas.

Xbox-One-saida-de-ar

A Xbox One é feia e grande!

Ao nível do design não existem muitos elogios para a Xbox One. A consola não é propriamente elegante, pelo menos, quando comparada com a Playstation 4, ou com a Xbox 360. Outro defeito é que é demasiado grande, a consola e o transformador que a acompanha.

O tamanho da consola tem um motivo claro, o sistema de refrigeração é silencioso e necessita de espaço, isto porque a Xbox One é um produto desenvolvido para estar 24 sobre 24 horas ligado. Durante todo o nosso teste mantivemos a Xbox One ligada, ou seja, durante 1 mês, sem a desligar, apenas suspender. A consola permaneceu fresca e silenciosa. Sempre que iniciávamos a consola, os nossos jogos estavam prontos para correr imediatamente, exactamente no local onde os tínhamos deixado. As actualizações também foram realizadas neste modo de suspensão, o que também nos poupou muito tempo.

No modo de suspensão, o único sinal de vida é dado pelo transformador que permanece com a luz a sinalizar que está ligado.

A Xbox One é grande, mas consegue passar 1 mês, ou mais, ligada. Já ao nível de beleza, a consola pareceu-nos demasiado antiquada.

Xbox-One-gamepad

O melhor Gamepad do mundo das consolas

O Gamepad da Xbox One é para nos o melhor controlador de jogos do mundo das consolas. É bem construído, os analógicos não escorregam e possui um leque de vibrações que nos colocam num patamar mais realista em determinados títulos.

O material de construção do Gamepad da One é muito bom, não reflecte, não se notam "dedádas" e é confortável de segurar. Consegue resistir a várias quedas. A sensação de comando suado também não é tão comum como nos anteriores modelos. O D-pad recebeu severas melhorias, principalmente quando comparado com o modelo da 360. Apesar disso a grande novidade está no revestimento dos analógicos, foi a primeira coisa que notamos. As bordas dos analógicos estão revestidas com um material muito resistente que possui um pequeno relevo. Este relevo está ainda revestido com um tipo de material com bastante atrito, evitando que o nosso dedo escorregue. Depois de jogar 1 mês na Xbox One, quando voltamos a utilizar o Gamepad da 360, ou o gamepad da Playstation 4, os nossos dedos no analógico estavam sempre a escorregar, pois estávamos já habituados ao atrito do comando da One, que funcionou lindamente.

São os melhores analógicos que já experimentamos.

Xbox-One-controller

Os Triggers, como são apelidados, são outra referencia deste gamepad. Existem vários tipos de vibrações no comando da One. Destacamos as vibrações nos botões traseiros, LT e RT, que nos jogos de carros dão uma sensação muito realista quando percorremos estradas mais acidentadas, um mesmo tipo de vibração que sentimos quando seguramos um volante, ou vamos num dos lugares da frente de um carro mais baixo.

Apesar deste elogios nem tudo é positivo. O controlador ainda funciona a pilhas, embora existam já baterias para o gamepad. Notamos também uma maior dificuldade para carregar nos RB e LB.

Xbox-One-lateral

Qual é a melhor consola?

Se a pergunta se referir apenas a jogos, a resposta varia consoante o seu gosto, Na ala da Xbox One encontrará ao longo dos próximos anos títulos exclusivos como Halo, Fable, Forza, Gears of War e imensos títulos para o Kinect, entre muitos outros. Na ala da Sony encontra nomes como Uncharted, Gran Turismo, Killzone, God of War, Littlebigplanet, Infamous, entre outros. Aqui a escolha é mais pessoal, mas a grande parte destes títulos ainda não estão disponíveis na consola da Sony.

Afirmar quem é a melhor depende do seu gosto. A Playstation 4 é mais capaz a nível de processamento gráfico, mas isso não irá significar muito nos jogos partilhados, como já explicamos em cima.

A questão que acho que deve colocar na compra de uma consola, é qual será a consola que irá evoluir melhor? Qual é a margem de progressão da Playstation 4 nos próximos 5 anos? O que vai trazer de novo para além dos jogos? Realidade aumentada? A que custo? E a interacção com dispositivos como smartphones e tablets? Neste aspecto a Playstation é pobre, e a Playstation TV não nos pareceu de todo interessante.

E no lado da Xbox One? O que a Microsoft irá trazer de novo nos próximos tempos? Neste aspecto acredito mais que a Xbox One se irá tornar em algo muito melhor do que é nos dias de hoje. E hoje já é algo muito mais versátil do que a Playstation 4. Se a Microsoft trabalhar bem, daqui a 2, 3 anos, esta análise não fará qualquer sentido, pois tudo estará diferente, com muitas mais funcionalidades.