Nexus 6

Publicado a: 13/Apr/2015 ; Por: Tiago Araújo

A Google decidiu brigar com os maiores dos maiores, com o novo Nexus 6 e o seu ecrã de 5.96 polegadas, valerá a pena comprar o Nexus 6?

Os smartphones Nexus são a linhagem mais pura do Android. Nesta espécime encontra o Android 100% puro, e o Nexus 6 não é excepção. É aqui que encontra também as maiores velocidades de actualização do software da Google. Produzir um Nexus é um orgulho para a maioria das marcas. É como ser escolhido a dedo pelo treinador para ir marcar o penalti da vitória, o que não quer dizer que sejas o melhor a marcar penaltis.

Este ano a Google escolheu a Motorola, e há quem diga que estas duas tenham tido uma relação anterior, onde a primeira só se relacionou por interesse e que a segunda estava demasiado apertada ao nível monetário. No fim, o Google ficou com as patentes, a Motorola com a experiência do Google e uma nova relação com a Lenovo. Marcas como HTC, Samsung, Asus e LG também já fabricaram smartphones e tablets Nexus.

Colocando de lado estas comparações bizarras, o Nexus 6 apresenta-se como um smartphone de topo. O primeiro da linhagem a ter a ousadia de desafiar os melhores. É um smartphone de grandes dimensões, batendo-se de frente com nomes como iPhone 6 Plus e Galaxy Note 4, quer ao nível das dimensões, quer ao nível do desempenho.

5.96 polegadas é o tamanho exacto do ecrã do Nexus 6, é smartphone para si?

Nem todos têm interesse em usar um smartphone tão grande. A aposta num smartphone de 6 polegadas é um passo arriscado. É impossível utilizar o Nexus 6 apenas com uma mão. Ainda assim, o Nexus 6 é um smartphone pequeno para o tamanho do seu ecrã. Lado a lado com o iPhone 6 Plus, a diferença é de meros milímetros. E o produto da Apple possui apenas 5.5 polegadas. Isto acontece porque a frente do Nexus é ocupada em 74.1% pelo ecrã.

Infelizmente, o Nexus 6 não é apenas grande, é também grosso. Possui uma espessura de 10.1mm, num corpo arredondado que o torna impossível de ser utilizado de costas pousadas, pois balança muito. Esta curvatura na parte de trás é no entanto muito útil para o segurar com a mão, tornando-o mais agradável ao toque.

Quanto ao material utilizado, o Nexus 6 conta com metal, plástico e vidro. O metal está localizado na moldura muito robusta do Nexus 6. Esta moldura possui diferentes espessuras ao longo do corpo. Encontra também metal no lettering da marca Nexus nas costas, estas ultimas em plástico, não removível. O plástico é de boa qualidade. O vidro é encontrado na frente.

Portas e botões estão todos bem localizados. Destacamos no entanto o botão de desbloqueio, que apesar de estar junto aos botões de controlo de áudio, é facilmente identificado devido à textura diferente de que é composto.

Bom ecrã e bom áudio fazem do Nexus 6 um dos melhores smartphones para conteúdo multimédia.

Apesar do ecrã de quase 6 polegadas possuir uma resolução Quad HD (2K), possui alguns defeitos a ter em conta. Primeiro, não possui painel IPS, os ângulos de visão são limitados, mas uma limitação abrangente, por isso não é grave. Segundo ponto, o nível de brilho máximo é muito elevado, o mais elevado que já testamos, é excelente para a visualização de conteúdo no exterior, em dias de sol, mas quando colocamos o ecrã do Nexus 6 ao nível máximo, existe uma saturação nas cores que não é normal, nem agradável.

Mesmo com estes dois problemas, achamos de boa qualidade o ecrã do Nexus 6. As cores, apesar de não serem fidedignas, são muito atraentes, e a resolução em conjunto com o tamanho, resultam numa definição de imagem muito boa para um ecrã de 6 polegadas. Os cantos ligeiramente arredondados na lateral do Nexus fazem a utilização do ecrã ser bastante confortável.

O som, apesar de não ser o melhor de todos, é bastante envolvente e agradável.

Ainda no ecrã, como se trata de um AMOLED, existe a funcionalidade de visualizar o ambiente de notificações sem ligar a totalidade do ecrã do Nexus. Apresentando esse ambiente a preto e branco, o que é um processo que requer menos consumo de bateria. Para activar esse ambiente basta pegar no smartphone.

Quanto à qualidade sonora, não é a melhor das melhores, mas é muito boa. Possui duas saídas de som frontais que lhe garantem uma qualidade de som estéreo envolvente, sendo bastante agradável de se ouvir. No caso do Nexus 6 da Orange, a embalagem vem com uns auriculares da Motorola, a qualidade desses não é grande coisa, mas na embalagem normal, em algumas lojas, o Nexus 6 não vêm com auriculares.

Desempenho mais do que suficiente, mas surpreendentemente com algumas pequenas falhas a apontar.

Os componentes do Nexus 6 são de topo, desse ponto não há duvidas, contudo, notamos algumas percas de fluidez na interface do Android 5.1 no Nexus 6. Tendo em conta que já conhecemos esta plataforma Qualcomm Snapdragon 805, só nos resta culpabilizar a versão mais recente do Android, a 5.1, que por ter sido lançada à semanas pode ainda não estar na sua fase mais madura. As percas de fluidez foram insignificantes, questão de milissegundos, mas ainda assim notaram-se. Por vezes ser o primeiro significa também que vamos utilizar uma interface "verdinha".

Voltando a salientar, estas pequenas falhas são insignificantes, e o desempenho foi muito bom. Corremos sem problemas as aplicações mais pesadas do Android. Trocamos facilmente de jogo para jogo num piscar de olhos, sem travamentos. Os núcleos Krait que compõem o QuadCore deste Nexus são dos melhores da geração anterior da Qualcomm. Enquanto que os 3GB de memória RAM são mais do que suficientes para a mais pesada das multi-tarefas possíveis neste momento no Android.

O Nexus 6 não possui MHL, Slimport, ou qualquer variante de HDMI.

Ao nível da mobilidade conte com 4G naturalmente. Já na conectividade o Nexus está também bem equipado com Wi-Fi, DLNA, NFC, Bluetooth e aGPS e GLONASS. Faltou apenas uma ligação física para a TV, não existe nenhuma variante de porta HDMI, nem suporte a MHL, ou, SlimPort.

No que diz respeito à autonomia, o Nexus 6 comportou-se ligeiramente acima da média. Com uma utilização pesada consegue afastar o Nexus 6 da tomada durante pouco mais do que 24h. Embora seja possível drenar a bateria do Nexus 6 em menos de 24h, se recorrer a jogos mais pesados e muita reprodução multimédia.

Melhorias nas câmara, mas não as suficientes.

O Nexus 6 possui uma câmara traseira de 13MP, comparando-a com a que vimos no modelo Nexus 5, as melhorias são muitas. Já se a comparamos com modelos mais recentes, como Galaxy S6, ou iPhone 6, a câmara do Nexus 6 fica aquém do esperado para o preço que é pedido por este smartphone.

Em situações de boa iluminação, a câmara do Nexus 6 consegue boas fotos. Gostamos principalmente das cores, embora estas estejam ligeiramente exageradas, mas gostamos do que vimos neste aspecto. A definição de imagem é também muito boa. No vídeo, o Nexus 6 grava em 4K. O problema da câmara está em ambientes mal iluminados, onde o tempo de disparo não ajuda a manter a estabilidade necessária, mesmo com estabilizador óptico presente no Nexus 6.

O flash, apesar de duplo, apenas é útil quando estamos próximos do alvo, e conseguimos iluminar na perfeição a zona de interesse, porque de resto, só atrapalha, principalmente naqueles ambientes onde nem está totalmente escuro, nem claro o suficiente para não usar o flash.

Na frente encontramos uma câmara de 2MP, banal. A qualidade não é muita. (Pode ver as fotos no vídeo de análise do Nexus 6).

Android Lollipop 5.1 Puro.

Não é novidade para ninguém, os smartphones da linha Nexus são sempre os primeiros a receber as actualizações do sistema operativo Android. Isto significa que as correcções de falhas são mais rápidas e que irá receber as novidades do Android mais rápido, desculpem, muito mais rápido do que os seus amigos com Galaxys, Gs, Xperias e Ones. Os Moto são um pouco mais rápidos que estas gamas que citei, andam quase ao mesmo nível que os Nexus. Por exemplo, enquanto muitos smartphones de topo ainda vão receber o Android Lollipop 5.0.x, o Nexus 6 já possui a versão 5.1.

Por vezes esta velocidade trás alguns problemas, por exemplo, testamos este Nexus 6 imediatamente após o lançamento da versão 5.1. Consequência? Houve uma aplicação de terceiros que não funcionou, Real Racing 3, e a interface não esteve 100% fluído. Claro que só actualiza quem quer, pode sempre esperar 1 mês e ai sim, actualizar. Com os Nexus pode escolher, esperar, ou, actualizar. Com outros smartphones não têm escolha, apenas espera, 4/5 meses, por vezes muito mais, outras vezes nem receberá a actualização, por vias oficias, claro.

Quanto ao Android Lollipop, adoramos as novidades, o Material Design é bastante atraente e rápido. As novidades ao nível da funcionalidade também são muitas e interessantes, onde destacamos as novidades ao nível da segurança e controlo de notificações sonoras. Existem progressos também no departamento da autonomia.

Vale a pena comprar o Nexus 6?

A Orange, que possui loja online em Portugal enviou-nos o Nexus 6 desbloqueado para análise. No site da operadora portuguesa, este Nexus possui um preço de 599,99€. É um preço ainda mais em conta que rivais como Note 4 e iPhone 6 Plus. Se procura um smartphone grande, esta poderá ser uma escolha em conta, pois além de mais barato é também maior e não perde em nada ao nível do desempenho, pois está equipado com componentes de topo.

Onde perde certamente é ao nível fotográfico. Se esta for uma funcionalidade muito desejada, então pagar um pouco mais por um gigante melhor neste ponto deverá fazer-lhe mudar para um Samsung Galaxy Note 4, ou 6 Plus da Apple. O design do Nexus 6 também não nos cativou muito, bem como a ausência de suporte a cartões microSD, algo a meu ver indispensável num smartphone desta gama dos gigantes, o que nos limita as escolhas ao modelo da Samsung.

Como ponto positivo principal, está o Android 5.1 Lollipop para puristas e para pessoas com pouca paciência para esperar por actualizações de software, onde me incluiu.

Positivo:

Desempenho; Android Puro e actualizado; Preço competitivo;

Negativo:

Câmara em ambientes mal iluminados; Ausência de MHL/SlimPort;
Located in: Smartphones