Moto G (2014)

Publicado a: 26/Nov/2014 ; Por: Tiago Araújo

Com a Motorola oficialmente em Portugal, o Moto G de 2014 é das melhor compras da gama média para este natal

A Motorola está oficialmente de volta a Portugal e consigo trouxe smartphones como este Moto G, segunda edição. A primeira edição deste smartphone vendeu muito ao nível internacional. O sucesso foi tanto, que mesmo com a Motorola fora do nosso mercado, conseguimos ver o Moto à venda em diversas lojas no nosso país. Para quem nos lê a partir do Brasil, o sucesso do primeiro Moto G é mais do que inquestionável. 

Esta versão de 2014 do Moto G não mudou ao nível interno, continua a utilizar o mesmo chipset que a versão anterior, o Qualcomm Snapdragon 400, mas está equipado com um ecrã maior, e com uma câmara melhor. O ecrã de 5 polegadas adequasse aos tempos mais modernos, onde as 4.5 polegadas do modelo anterior começam a parecer pequenas demais.

Com a mudança no tamanho do ecrã, o design do Moto G teve obrigatoriamente de mudar. Está mais elegante, possui agora duas saidas de som frontais que fazem uma grande diferença na qualidade sonora. O espeto está mais top, mas a construção, apesar de boa, possui alguns defeitos que mostram bem a gama onde se encontra.

Qualidade de construção do Moto G é boa, embora não seja o foco principal

Vender um smartphone como o Moto G por apenas 199€, é complicado. As especificações deste terminal são boas, mas a Motorola tinha de cortar em algum lado. Fez-lo na embalagem, nos acessórios que acompanham o smartphone e na qualidade de construção. Atenção! Gostamos muito do design do Moto G de 2014, nem parece que custa tão pouco, mas com uma utilização mais demorada percebemos-nos bem dos cortes na construção.

A frente do Moto G é elegante, mas facilmente "suja" com marcas de dedos. O mesmo se passa com a capa traseira, as marcas dos dedos ficam por todo o lado! O design da capa é simples e elegante. A capa é removível e existem muitas cores e variantes de capa para o Moto G. Apesar disso, a bateria não é removível. Na parte detrás encontra os espaços para os dois cartões microSIM, caso seja o modelo DualSIM, mais o espaço para o cartão microSD.

Moto-G-Lateral

O Design é elegante, mas as marcas dos dedos estão por toda a parte!

O maior problema desta construção está nos botões lateriais, para controlo de audio e desbloqueio do smartphone. Se abanarmos o Moto G, ouvimos também os botões a abanar, é incomum este pormenor. De resto, este Moto G é muito simples, porta microUSB na base e jack de 3.5 mm no topo.

O ecrã do Moto G é bom, mas o som é muito bom!

O Moto G de 2014 possui um ecrã de 5 polegadas com resolução HD. Esta combinação resulta numa densidade de pixeis de 294ppi. É menor que o modelo anterior, mas preferimos um ecrã um pouco menos definido, mas maior. A qualidade de imagem é boa, os ângulos de visualização também, graças à tecnologia IPS que acompanha este LCD. Como proteção entra uma camada Gorilla Glass 3.

Gostamos muito da evolução no ecrã, mas a evolução mais sonante está na qualidade do som. O som do Moto G de 2014 é muito bom! As duas saídas de som frontais são as principais responsáveis por esta qualidade. A qualidade do som está acima de muitos smartphones de topo, como LG G3, ou, Galaxy S5, apenas é batido pela qualidade do HTC One, que também possui duas saídas de som frontais, mas com maior qualidade de que as dos Moto G, naturalmente. Já no que diz respeito ao som com headphones, a qualidade é mediana e o Moto G não trás nenhum headphone.

Motorola-Moto-G-cartao-microSD

Outra vertente de realçar neste Moto G, é o software. A versão que analisamos, Moto G 2014 de 8GB, está equipado com o Android 4.4.4, e irá possuir suporte para o Android 5.0 Lollipop. Na altura desta análise, o modelo Single SIM nos EUA e Canadá já recebeu a actualização para o Android 5.0, foi um dos primeiros smartphones a receber a actualização via OTA, o que é notável!

De realçar a velocidade de actualização para o Android 5.0 Lollipop no Moto G!

A Motorola equipou ainda o Moto G com algumas aplicações como o Moto Assist e Moto Alerta. A interface é praticamente a nativa do Android, com excepção da interface da câmara que é da Motorola. O Moto Assist tem funcionalidade como modo Dormindo, que silencia o smartphone quando vai dormir, ou em determinado horário, com a possibilidade de criar excepções. O mesmo se passa para o modo Reunião, Dirigindo e Casa, que possuem funcionalidades idênticas.

Bom desempenho, mas não 100% fluído.

O Moto G possui um bom desempenho geral. A grande maioria dos utilizadores não irá notar uma perca de desempenho. A interface é rápida na grande maioria das vezes. Notamos alguma latência quando fechávamos algumas aplicações e entravamos para o menu, por vezes os ícones demoravam a aparecer, uma questão de 1 segundo, nada de grave e perfeitamente normal para dispositivos Android desta gama. A parte boa é que nunca encravou, nunca tivemos a obrigação de fechar determinada aplicação porque essa deixou de funcionar. O chipset Qualcomm Snapdragon 400 mostrou-se muito estável neste aspecto.

Este Chipset da Qualcomm irá controlar um processador Quad-Core com núcleos Cortex A7 a 1.2GHz, bem como 1GB de memória RAM e a GPU Adreno 305. Este conjunto é bom para a grande maioria das funcionalidades do Android. Foi rápido o suficiente para um uso pesado. Não irá é conseguir correr os jogos com o detalhe gráfico no máximo, mas neste aspecto não encontra nenhum modelo que consigo na gama dos 200€.

Moto-G-espaço

A autonomia cumpre à rasca o 1 dia de utilização, quando utilizamos o Moto G de forma pesada, com vários emails e aplicações de mensagens a fazerem uso da conexão 3G, bem como aplicações multimédia com reprodução de musica e vídeos. Se colocar-mos jogos nesta equação terá de carregar o Moto G antes das 24h de utilização.

O Moto G possui suporte para cartões microSD, ao contrário da versão anterior, o que é uma excelente novidade, principalmente para quem optar pela versão de 8GB (Existe também uma versão de 16GB). O tamanho do cartão externo está limitado aos 32GB de espaço.

No que diz respeito à mobilidade, o Moto G que analisamos é um modelo 3G, com velocidades de download na ordem dos 21Mbps. Possui também Wi-Fi e Bluetooth, infelizmente o NFC não está presente nas especificações do Moto G de 2014. De realçar ainda a presença de tecnologias como GPS, GLONASS, Acelerómetro, Giroscópio, compasso e sensor de proximidade.

A câmara do novo Moto G está melhor, ainda assim deixa a desejar.

A Motorola equipou o novo Moto G com uma câmara de 8MP nas costas. Esta câmara possui uma qualidade razoável. Com algum tempo e paciência, consegue capturar boas fotos, mas se quiser disparos rápidos e focados, o Moto G não é a melhor opção. Não precisa de boas condições de iluminação, precisa sim de tempo. Em interiores, com luz artificial, consegue uma boa qualidade de focagem, mas terá de apontar bem o foco para o alvo, se abrir e simplesmente disparar a foto não irá sair focada. Pode utilizar os botões de controlo de volume para capturar uma foto.

Já na parte da frente, a câmara de 2MP não tem remédio, é simplesmente fraca, principalmente se o local for mal iluminado. Se a iluminação for boa, ainda consegue capturar algumas fotos com qualidade mediana. A câmara de trás consegue gravar vídeo em HD.

Vale a pena comprar o Moto G?

Sim vale. Existem alternativas um pouco mais caras na casa dos 200/300€, de marcas menos reconhecidas, como BQ, Wiko, THL, ou Yezz. Estes dispositivos apresentam características que são mais atraentes que as do Moto G. Modelos com câmaras melhores, processador octa-cores, 2GB de memória RAM e muito armazenamento interno. O problema dessa gama de dispositivos é que não vão receber o Android 5.0 Lollipop, e o Motorola Moto G foi o primeiro Android a receber o Android 5.0 via OTA. 

Outra vantagem do Moto G face a esses dispositivos é a estabilidade. O chipset Qualcomm Snapdragon 400 é muito estável, ao contrário dos MediaTek e derivados que resultam em muitas quebras e encerramento de aplicações, quando utilizados com muito "Stress". O problema deste Moto G está no espaço para armazenamento, caso opte pela versão mais básica. É quase obrigatória compara um cartão microSD com a versão de 8GB.

Positivo:

Preço; Velocidade de actualização da Motorola; Qualidade de Som;

Negativo:

Câmara frontal; Não possui NFC;
Located in: Smartphones